sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Páginas em branco


Escrevo páginas em branco, folhas lisas e limpas, sem nada a declarar.

Inerte.

Diante de uma página em branco.

Paralisado.

Página em branco, palavras que não se lêem, de uma vida insignificante.

Estático.

O branco atormentador. O vazio de uma folha que nada tem para contar.

Escrevo páginas em branco.

Folhas lisas e limpas. O pálido reflexo de uma existência que mal dá para se notar.

Imóvel.

Página em branco, corpo vazio, um espírito que anda a vagar.

Escrevo páginas em branco, folhas lisas e limpas.

Páginas em branco, de um livro não escrito, sobre uma vida que se deixou escapar.

Inerte. Paralisado. Estático. Imóvel.

Jacente.

Aqui jaz uma vida em branco, sem nada para contar.

Páginas em branco. O pálido reflexo daquele que mal dá para se notar.

Vazio. Completamente vazio.

Páginas... Em BRANCO.

2 comentários:

Anônimo disse...

OLÁ
SE AS PÁGINAS
PERMANECEM
EM BRANCO
PERMITA
QUE ELAS
SEJAM ESCRITAS
EM QUALQUER CIRCUSTÂNCIA
QUE VENHAS
SE DEPARAR.
BEIJOS
LINDO MESMO
PARABÉNS!
SHIRLEY LIMA.
:)

Emanuel Júnior disse...

Agradeço pelo comentário. :)

Contudo, é bom lembrar que nem sempre as páginas (em branco) sobre as quais escrevemos refletem as nossas próprias experiências ou dizem respeito apenas a nós mesmos.

Observação. Reflexão. :)