segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Melancólico sol da meia-noite


Algo que escrevi há cerca de um ano e meio. Espero que gostem e comentem.

Melancólico sol da meia-noite

Fria noite de verão glacial
Brilho fosco de esperança
Pequeno ponto no horizonte
Translúcido nicho de ilusão

Gélidos sonhos sob o sol da meia-noite
Ímpeto salvador incongruente
Entorpecido vigilante da noite
Nobre sonhador, pobre sonhador

Espírito noturno
Errante companheiro
Augusto parceiro
Das travessias sem fim

Platéia silenciosa
Silêncio!
Platéia em êxtase
Sonhos, fantasias

Caminhada incansável
Caminhante implacável
Sob o lampejo da turva luz
Que emana deste nebuloso céu

O frio que te aquece a alma
O calor que arrefece teus pensamentos
O ambiente que te inspira
A vida que te fascina

Realidade fictícia
Ficção factual
Loucura, insanidade
Triste tentativa de fugir à realidade

Rende-te poder do sol noturno
Gelado, petrificado
Este é o domínio do sol soturno
Deprimente, melancólico.

Um comentário:

marla_faria disse...

"Você pra mim é o sol da minha noite;
É como a rosa, luz de Pixinguinha;
É como a estrela pura aparecida,
A estrela a refulgir, do Poetinha;
Você, ó flor, é como a nuvem calma
No céu da alma de Luiz Vieira;
Você é como a luz do sol da vida"
o meu ta melhor?! :p
te amo...
muito melancolico pra vc esse texto...mas como sempre muito bem escrito,afinal é isso q interessa.
beijussssss