quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Crianças




Crianças

Crianças de rua
Sem motivo para brincar
Com um tubo de cola na mão
Pela vida têm que lutar

Crianças na rua
Que saem para brincar
Com uma bola na mão
Põem-se a jogar

Crianças de rua
Barrigas vazias
Pedindo esmola nos sinais
Reflexo da decadência social

Crianças na rua
Sem paz para brincar
Temem a violência
Reflexo da decadência social

Crianças de rua
Exploradas por sua fragilidade
Bode expiatório da sociedade
Não têm direito de sonhar

Crianças na rua
Já está na hora de entrar
A tarde chega ao fim
Torna-se perigoso brincar

Crianças inocentes
Vítimas por igual
São apenas crianças
Que sofrem com a desigualdade soc

2 comentários:

Paulo Peterson disse...

A desiguladade social a cada dia nesse país pizzaria, só nos revolta. É um absurdo uma pessoa morrer de fome por causa de política. Casos como o do Renan mostrou claramente como funcionam as coisas nesse país.Abs

marla faria disse...

"O sequestrador dos passageiros do ônibus Gávea-Central do Brasil, identificado pela polícia como Sandro do Nascimento, foi um dos sobreviventes do massacre de menores, em julho de 93, no qual oito meninos foram assassinados por policiais no Rio.

O episódio ficou conhecido como Chacina da Candelária, numa referência à praça onde estavam quando foram mortos. Nascimento foi um dos 62 sobreviventes, afirmou ontem a advogada dos menores, Cristina Leonardo.

A primeira a identificá-lo foi a faxineira Elza da Silva, 45, que afirma ser mãe dele. Segundo ela, o verdadeiro nome de "Manchinha" seria Alessandro Silva, um menino que teria vivido "de déu em déu (nas ruas)" desde os 7 anos. "Reconheci meu filho assim que ele apareceu na janela do ônibus, com a arma apontada para uma moça", relatou, chorando."

menino de rua hj,e amanhã?